Google+ Ciclismo: Guinness Book - Ciclista percorreu 2080km numa bicicleta de Bambu

Newsletter - Acompanhe as novidades por email:

Notícias

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Guinness Book - Ciclista percorreu 2080km numa bicicleta de Bambu



   Depois de pedalar 2080 quilômetros, em 16 dias, sobre uma bicicleta de bambu de confecção própria, o ciclista Mateus Nascimento, de 46 anos, alcançou seu objetivo e chegou a cidade de Salvador, na Bahia, na tarde do último domingo, dia 2. Ele saiu do município de Suzano, na Grande São Paulo, no dia 18 de outubro, rumo à capital baiana com o desejo de entrar para o livro dos recordes, o Guinness Book. Para conquistar o feito inédito, o ciclista cortou o Estado de Minas Gerais, com passagem por mais de 25 cidades.

   “Estou realizado. Não tenho palavras para descrever a emoção em superar esse desafio”, disse o atleta, que pretende passar alguns dias na Bahia para recuperar as energias. “Nos primeiros dias cheguei a pedalar até 10 horas. Estou com o corpo muito dolorido, mas a alegria é maior do que qualquer dor nesse momento. Vou aproveitar a estadia por aqui e rever alguns familiares”, acrescentou o atleta.


   Esta não é a primeira aventura de Nascimento e sua bicicleta de bambu. No ano passado, ele pedalou 900 quilômetros de Suzano até Goiás. “Foram cinco dias de pedalada até Goiás, o que me motivou a percorrer distâncias maiores. Estou sempre em busca da minha superação pessoal. Acredito na força do ser humano e na capacidade de se reinventar a cada dia. Espero que este desafio motive as pessoas a buscarem seus sonhos, independente da complexidade”, disse o atleta, que pretende registrar a aventura em um livro.
Artesão, Nascimento também trabalha com a confecção de artefatos de bambu. Há dois anos decidiu copiar o modelo de uma bicicleta de bambu para tornar seu equipamento mais leve.
   “Além de leve, a bicicleta se torna ecologicamente sustentável. Não tenho dúvidas de que vou chegar muito bem até a Bahia. Estou muito ansioso”, diz.

   Baiano, ele chegou a São Paulo em 1985, aos 17 anos, para disputar a tradicional Corrida de São Silvestre e depois moraria com os tios. Porém, após alguns desentendimentos com a família, ele decidiu sair de casa e passou a viver nas ruas da capital paulista. “Fazia bicos e estudava à noite, mesmo morando na rua. Certo dia vi o anúncio de uma vaga para pintor e resolvi me candidatar. Conheci uma boa alma que acreditou em mim e me deu uma oportunidade na cidade de Suzano”, lembra.

   Foi na cidade do Alto Tietê que Mateus constituiu família e ingressou no mercado de trabalho, estampando camisetas. “Tive uma pequena produção de estamparia, mas nunca abandonei as corridas de rua. Viajei para muitas cidades e até para fora do país para competir pela cidade de Suzano, que sempre me patrocinou”, conta.

    Para ele, os desafios esportivos são formas de superação e fortalecimento humano. “Tudo nessa vida é possível, desde que se tenha um objetivo e dedicação”, diz o atleta.

Sem comentários:

Enviar um comentário